Sist.Guarapiranga
Saneamento Sist.Guarapiranga Sistema Cotia

Home Nascimento da Sabesp Fotos

 

SISTEMA GUARAPIRANGA


O sistema Guarapiranga juntamente com o Sistema Rio Grande é de Responsabilidade de um Gerente de Departamento e assim como o Sistema Rio Grande o sistema Gurapiranga tem na Operaçao e Manutenção dois Gerentes de Divisão, Sendo quem um fica com a parte de tratamento de água e outro na parte de Adutoras, Estações Elevatórias e Reservatórios de água tratada.



EEA_Guarapiranga_Velha.jpg (839490 bytes)
Estação Elevatória do Guarapiranga de Água Bruta

Sistema Guarapiranga: é o segundo maior, com produção média de 13,5 mil litros de água por segundo. A água é retirada da represa Guarapiranga, proveniente dos rios Embu-Mirim, Embu-Guaçu, Cipó, Vermelho, Ribeirão Itaim, Capivari e Parelheiros, e tratada na Estação Alto da Boa Vista, abastecendo 3,4 milhões de pessoas das zonas Sul e Sudoeste da Capital, representando 18,8% do abastecimento.

Obs.: 1) Em 1 de junho de 2000, a produção foi reduzida em 30%, passando para 9.000 litros de água por segundo. Esta medida foi tomada por causa do baixo nível da represa, comprometida por causa da estiagem. A Sabesp, por isso, foi obrigada a adotar o racionamento em parte das regiões sul e sudoeste da RMSP;

2)Em 15 de setembro/00, o racionamento foi cancelado, graças as ações tomadas pela empresa, além da contribuição das chuvas nos meses de agosto e setembro. Uma das principais ações se refere a reversão do braço Taquacetuba (Billings) para a represa Guarapiranga de 2 mil litros de água por segundo. Ainda está prevista mais dois mil litros de água por segundo. A Sabesp aguarda liberação da Secretaria do Meio Ambiente;

3)Desde o dia 11/7/00, o setor Vila Olímpia (Guarapiranga) passou a ser atendido pelo reservatório Vila América (Cantareira). Esta medida foi adotada por causa do racionamento evitando, assim, a retirada de 300 l/s do sistema Guarapiranga;

4)Desde o dia 11/7/00, o reservatório Jabaquara passou a receber água só do sistema Cantareira, com isso, evitando a retirada de 600 l/s do Guarapiranga;

5) Desde o dia 20/4/00, os reservatórios de Taboão da Serra, Embu R4 e Jardim Arpoador passaram a receber água pelo sistema Guarapiranga, sendo anteriormente pelo Cantareira.

 

Estação de Tratamento de Água Alto da Boa Vista ( ETA ABV )

A ETA ABV é uma Estação de Tratamento de Água potável construída na década de 1940 e hoje tem a capacidade de tratar 16 m3 de água por segundo. A adução de água bruta da Estação Elevatória até a Eta ABV é feita através da Oitava adura com diâmetro de 2500 mm. e o sistema hoje está totalmente informatizado. O Controle da Elevatória é monitorados pelos Técnicos de Tratamento de Água na Eta ABV inclusive com a aplicação de Carvão ativado por uma estação lançadora de produtos químicos construída junto á Elevatória do Guarapiranga.

Dos produtos químicos aplicados no tratamento de água, Na Represa e na Elevatória do Guarapiranga já são aplicados dulfato de cobre para controle de algas que causam sabor e odores e entopem filtros. Depois são aplicados carvão ativado para remoção de sabor e odor da água e finalmente cloro para eliminação de microorganismos. 

Na Eta ABV outros produtos químicos são adicionados à água para completar o tratamento. Os produtos químicos básicos aplicados em qualquer ETA são: cloro responsável pela desinfecção total da água, sulfato de alumínio ou de ferro para provocar a coagulação das impurezas e por fim a aplicação de cal ( Hidróxido de cálcio ) ou outro tipo hidróxido para a correção de PH. A correção de PH é importante tanto no processo de tratamento quanto para a não corrosão de tubulações até a entrega da água aos consumidores. PH baixo a água torna-se corrosiva e PH alto provoca incrustações entupindo tubulações. Enquanto o cloro e sulfato são aplicados na água ela torna-se corrosiva então é necessário aplicar cal para elevar o PH até um nível satisfatório.

Na Eta ABV ainda são aplicados outros produtos químicos para aumentar a eficiência do tratamento. São eles: flúor para combate das cáries dentárias, o polieletrólito para aumentar a eficiência no processo de coagulação e decantação. A agua ao receber os produtos químicos básicos passa por um processo de mistura rápida, depois pelos floculadores ( Tanques tecnicamente construídos para essa finalidade e depois a água chega aos decantadoresomde os flocos de impurezas devido ao peso se precipitam e são depositados no fundo dos decantadores. Do início ao final da Eta a água se transfere por gravidade e enquanto vai entrando água na Eta, a parte que entra empurra a parte que se encontra e isso se repete até chegar ao final do tratamento. O percurso da água numa Eta para tramento começa com a chegada da água na Eta, ela passa pelo tanques de mistura rápida, passa por canais e chega aos floculadores, depois pelos decantadores, pelos filtros rápidos de areia, canais e finalmente ao reservatório de Compensação.

Os filtros rápidos de areia são tanques com fundos falsos, onde na laje intermediária ficam os difusores de pvc ou porcelana. Pelos difusores passa somente água, eles retém os seixos, areia e até carvão ativado aplicado na água. Logo acima dos difusores estão colocados os seixos ( pedras redondas de tamanho especificado ) mais acima areia grossa e na superfície do filtro areia média. As areias utilizadas nos filtros têm granulometria específicas. A um certo tempo de utilização os filtros ao ficarem sujos devido à retenção de impurezas, lavados com água contra-corrente. O monitoramento para perceber o momento adequado da lavagem de um filtro é verificado através da taxa de filtração. Logo após a lavagem ele apresenta alta taxa de filtração e bcom o passar do tempo de utilização essa taxa vai diminuindo.

A Eta ABV como qualquer outra é provida de um sistema de lavagem de filtros com reservatório e bombas, de uma casa de química onde são recebidos e preparados os produtos químicos, de um tanque de recuperação de água de lavagem dos filtros, de um posto de dosagem de produtos químicos, de um laboratório para monitorar o tratamento e de um posto de controle informatizado para operar as Estação Elevatória do Guarapiranga, postos de aplicação de produtos químicos e ainda para receber processar e transmitir dados referentes do Sistema Guarapiranga.

A Operação do Sistema Guarapranga é ininterrupta, 24 horas por dia. Trabalham em escala de revezamento, a cada turno de oito horas, três Técnicos químicos de tratamento de água na Eta Abv, Dois Operador de Estação Elevatória e um ajudante de Operação. 

 

Sistema de Transposição Águas da Represa Billings para a Represa Guarapiranga (Braço do Taquacetuba)

 O Sistema Produtor Taquacetuba-Guarapiranga consiste na transposição das águas do Braço Taquacetuba da Represa Billings para a Represa Guarapiranga, e se destina a contribuir com água bruta o armazenamento no manancial do Gurapiranga. Dessa forma visa auxiliar e garantir o suprimento de água à população da Região Metropolitana de São Paulo.

No Projeto do Taquacetuba foram contemplados a Construção de Duas Estações Elevatória, Uma extensão de aproximadamente 14 Km de uma adutora com trechos de 1500 e 1200 mm de diãmetro e também um tanque unidirecional de amortecimento, além de três válvulas de dissipação de energia ao desaguar na Represa Guarapiranga.

Represa Guarapiranga

Represa do Guarapiranga

Extenção (área)= 631 Km2

.Área inundaca = 33,90 Km2

Barragem

Cota da cr ista = 739,30 M

Comprimento 1.500,00 metros

Altura 19,00 metros

N.A. Máximooperacional 736,62 11 M

N.A. Mínimo operacional 727,00 M

N.A. r . observado 736,68 1'-1 (31.01.76 ) naxamo

N. ~ünimo " 724,13 H (13.12.10) ,

N.A. Emer genc í.a 736,56 li (99,00% )

Volume total 736,68 1-1 (194,69 xl06 H3 ~100, 00% )

I

106 " tt 727,00 N (12,50 x r-ü 1 0,0% )

Volume entre 727,00H 1736,62 - 182,1~...c1061>13

Soleira

Descatga de fundoo

Ver t ed or lateral e

Comportas 4-5-6 de superfície

Descarga

731,00 H 26,32 ~,

732,60 :rol 42,51 %

736,20 M 92,58 cd

/ ••1

736,66 ~I 100,73 %

Díametro do tubu1ão

Descarga total

Descarga de fupflo

t1 Superfície

Comprimento do tubulão

3 descarga

1.981 H/H

410 H3/s

170;,13/5

270 1131 s

~ 4' ate o manífold das va1vu1as 319,30 M

de 1.000 H/H

de 400 M/M 'U ._._-

Guarapiranga_em_1908.jpg (451911 bytes)Guarapiranga_Construcao.jpg (572223 bytes)

 

Sistema de Reversão do Rio Capivari à Represa de Guarapirana.

Perfil_SistCapivari.jpg (1467909 bytes)O sistema de Reversão do Rio Capivari era parte de um projeto muito maior do Capivari-Monos de onde se pretendia reverter águas do Rio Ribeira de Iguapé, inclusive com várias Estações Elevatórias para vencer a Serra do Mar. Entretanto diante da complexidade do Projeto, da grande soma a ser dispendida e do impacto ambiental esse Projeto ficou só no papel e a única parte executada foi da Estação Elevatória no Rio Capivari, um trecho de duas adutoras: uma de 1000 mm de diâmetro, de ferro fundido, 2737 metros de extensão e outra de 900 mm de diâmetro de ferro dúctil. de  2330 metros de extensão e do Canal Capivari em torno de 15 kilometros de extensão.

A Elevatória do Capivari aduz uma vazão média diária de 1,200 de m3 de água por segundo.

 

Topo da Página



 


Copyright © 2009 Website [ Tuia.com.br ]                                                                  Bloco: Sabesp
       Contatos          faust @ tuia.com.br
Todos os direitos reservados
Última atualização: segunda-feira, 13 de outubro de 2014 .